Maracatu de Baque Solto

10 de junho de 2010

O Maracatu de Baque Solto – mais conhecido como Maracatu de Baque Virado – é uma manifestação da cultura popular brasileira, afrodescendente e de origem religiosa.

Neste seguimento iremos mostrar o Maracatu Bloco de Pedra, composto pelos frequentadores das oficinas oferecidas pelo Projeto Calo na Mão, na Escola Estadual Profº António Alves Cruz, na Vila Madalena em São Paulo.

O blog fez uma entrevista com os coordenadores do projeto, para que nos explicase um pouco mais sobre o maracatu de baque solto, e sobre o projeto oferecido pela escola, veja a entrevista:

Algumas fotos dos sábados de Maracatu Bloco de Pedra:





Este slideshow necessita de JavaScript.

Maracatu de Baque Rural

28 de maio de 2010

O Maracatu de baque rural– mais conhecido como maracatu de baque solto – é o que vem com a orquestra acompanhando durante sua apresentação. Mais conhceido pelas ruas pernambucas, o maracatu de baque solto não tem, de certa forma, um toque fixo, ele tem a “loa” ou a cantiga, a chamada, e depois uma batida constante com os guizos. O maracatu rural se diferencia muito dos outros por causa disso, na realidade você faz o canto e depois é que toca, como se fosse um “aboio”, que é belíssimo. A quantidade de guizos é a quantidade de anos que o brincante sai, com o passar dos anos fica um peso enorme.

O Maracatu rural é também o mais conhecido pelas fortes cores e presença maracante. Com encenação nas manifestações da cultura popular de uma maneira geral,  o rural vai ver uma referência muito forte do rei e da rainha, que são ligados à questão da Europa, mas na África também tinha, inclusive nações, reis acompanhados de príncipes, que aqui chegaram e foram presos, pra ser escravos.

Algumas fotos do Maracatu Rural ou se preferir, Baque Solto, tiradas na festa anual na cidade de Nazaré da Mata em Pernambuco.

Reprodução: Flickr.com

Vídeo sobre Maracatu de baque solto.

Maracatu: é um ritmo tradicional do nordeste do Brasil. Em Recife e Olinda no coração de Pernambuco, desenvolve-se a mais de 400 anos da música e tradição dos escravos provenientes da África na maioria no Congo da tribo de Nagô.

Homem com adereços do Maracatu

A palavra MARACATU denominava uma reunião barulhenta de homens negros ou mulatos e tinha uma entonação negativa.

Desde o século XVII o maracatu é tocado mais ou menos como hoje: o gongue faz o ritmo, as caixas, tambores de guerra, formão o tapete de ritmo com os ganzas e shekere e as alfaias, os tambores de madeira, que fazem toques diferentes – variações do ritmo.

Alguns instrumentos do maracatu.

Bem vindo ao blog do Maracatu RB, onde mostraremos um pouco desse movimento pela cidade de São Paulo. Logo mais, matérias e belíssimas fotos dessa arte que é o maracatu.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.